Pedrógão Grande: Carta Aberta (2)

dems

Ao Excelentíssimo Presidente da República Portuguesa, Professor Marcelo Rebelo De Sousa;
Ao Excelentíssimo Senhor Primeiro Ministro da República Portuguesa, Dr. António Costa;
À Excelentíssima Ministra da Administração Interna, Doutora Constança Urbano de Sousa

Vimos por este meio solicitar informação sobre o que foi feito relativamente às famílias das 64 vítimas mortais, bem como em relação aos mais de 200 feridos e demais atingidos pela tragédia ocorrida em Pedrógão Grande, Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos e Góis.

Passados dois meses da tragédia, e um mês após a nossa primeira missiva, as nossas dúvidas mantêm-se e avolumam-se, das quais destacamos:
– Qual o destino actual dos mais de 13 milhões de euros em doações, fruto da caridade e esforço dos portugueses?
– Porque continua o site do fundo REVITA sem informação dos fundos recebidos, e que continua a receber? E porque não revela os apoios já entregues?
– Porque as entidades receptoras estão a reter os donativos para os afectados?
– Dos fundos comunitários recebidos como estão a ser aplicados? Porque não criar o portal com a informação da aplicação desses fundos?
– Porque é que a acção das entidades públicas se remete a reparações na EN 236 e os acessos e sinalética às aldeias continua por fazer?
– Porque é que a sua presença em Pedrogão, Figueiró e Castanheira não é feita de surpresa sem o governo? Estas visitas articuladas não deixam ver a realidade e acabam por deixar a sensação de encenação;
– Porque ignora os inúmeros voluntários que trabalham no terreno recolhendo apoios por si, constatando que efectivamente a ajuda ao local não chega e que são os únicos a dar resposta em diferentes áreas?

O Estado falhou. Era essencial que não falhasse nestes pontos.

os melhores cumprimentos,
Democratas

Search